Archive for setembro \16\UTC 2010

Memórias Desmortas e a derrocada da literatura brasileira

setembro 16, 2010

ZumBrás Cubas e seus amiguinhos no Segundo Caderno

Quando o Segundo Caderno publicou a reportagem sobre a onda de paródias/mashups de clássicos da literatura brasileira, citando a coleção da Leya e com o Memórias Desmortas entrando de penetra pela porta dos fundos e roubando a cena (ok, estou exagerando, deixem-me continuar vivendo no meu fantástico mundo imaginário), eu não tinha me tocado que teria diversão garantida pro restante da tarde. Não contava com a indignação e frenesi que causaria nos comentaristas do Globo online, ou, melhor dizendo, nos tenazes defensores da pureza de nossa venerada Literatura (sacaram o L maiúsculo, né?).

Eu não consegui resistir a fazer uma seleção dos mais geniais pra postar aqui. Sério, vocês não tem ideia do quão lisonjeiro é ser considerado como responsável pela “derrocada da literatura brasileira”. Eu ia fazer réplicas engraçadinhas aos comentários, mas estou sem paciência.  Eles  falam – de maneira bastante eloquente – por si só. E, pra deixar claro, não me senti ofendido nem nada, estou achando tudo simplesmente sensacional. Inclusive já comuniquei ao meu venerável editor que a gente precisa reproduzir algum desses comentários em uma eventual 2ª edição (vai saber, né?) do Memórias Desmortas.

(Talvez em um futuro longínquo eu faça um post sério sobre o assunto, bem ou mal, estudo paródia como estratégia narrativa pós-moderna na faculdade. Mas, por enquanto, fiquem com o festival de genialidade)

Mantive os comentários anônimos, pra ninguém vir buzinar no meu ouvido. E os grifos são meus, claro. Não resisti.

“Concordo plenamente com todos que foram contra essa ideia de mau gosto, essa usurpação do talento alheio, esse desrespeito aos clássicos, essa invasão à imaginação de quem a tem(tinha). Não há desculpa para essa forma nojenta que uns ignorantes desprovidos de honra, de vergonha, descobriram de lucrar e aparecer. Isso é ridicularizar a cultura.

Blasfêmia! Blasfêmia! Blasfêmia!!!!!

“A família dos autores deveria impedir que isto aconteça e processar estas pessoas.

“Que falta de talento! Se essa gente é incapaz de escrever algo bom e original de próprio punho, que parta para outra profissão.”

“Tentar reescrevar Machado de Assis vai apenas ressaltar a sua inaptidão para a Literatura.”

“Tinha que ser proibido.

“se já está tudo pronto, para quê criar algo novo?! basta requentar! até porque não existe mais imaginação mesmo, ninguém precisa mais pensar…”

“Que barbaridade! Ja que estamos modificando estes classicos com ‘atualizacoes’, vamos entao re-pintar quadros famosos tambem, e vamos aproveitar para modificar as estatuas do Michaelangelo para adapta-las ao mundo moderno com Facebook e Twitter. Que maior falta de creatividade e’ esta! Nao mexam com perfeicao, por favor! Aqui esta uma ideia radical: escrevam suas proprias estorias,com seus proprios personagens e tente criar classicos novos ao inves de escambalhar os que ja estao na prateleira”

Má fé. Quem não tem uma idéia original para criar seus próprios personagens devia desistir da carreira.”

É a derrocada da literatura, com certeza! Povinho sem criatividade, sem expressão, procura usar as obras dos Grandes Mestres, deturpando sua obra, suas idéias. (…) É uma vergonha para o Brasil e o mundo ver um Machado de Assis na vulgaridade…

E aí? O que vocês acharam? Qual é o seu comentário preferido? Vamos votar pra ver qual entra na próxima edição do Memórias. HAH.

Só pra adiantar, eu já libero o Nerdquest pra quem quiser fazer um mashup com zumbis, ninjas ou velociraptors.

BJUNDAS!