Memórias Desmortas e a derrocada da literatura brasileira

ZumBrás Cubas e seus amiguinhos no Segundo Caderno

Quando o Segundo Caderno publicou a reportagem sobre a onda de paródias/mashups de clássicos da literatura brasileira, citando a coleção da Leya e com o Memórias Desmortas entrando de penetra pela porta dos fundos e roubando a cena (ok, estou exagerando, deixem-me continuar vivendo no meu fantástico mundo imaginário), eu não tinha me tocado que teria diversão garantida pro restante da tarde. Não contava com a indignação e frenesi que causaria nos comentaristas do Globo online, ou, melhor dizendo, nos tenazes defensores da pureza de nossa venerada Literatura (sacaram o L maiúsculo, né?).

Eu não consegui resistir a fazer uma seleção dos mais geniais pra postar aqui. Sério, vocês não tem ideia do quão lisonjeiro é ser considerado como responsável pela “derrocada da literatura brasileira”. Eu ia fazer réplicas engraçadinhas aos comentários, mas estou sem paciência.  Eles  falam – de maneira bastante eloquente – por si só. E, pra deixar claro, não me senti ofendido nem nada, estou achando tudo simplesmente sensacional. Inclusive já comuniquei ao meu venerável editor que a gente precisa reproduzir algum desses comentários em uma eventual 2ª edição (vai saber, né?) do Memórias Desmortas.

(Talvez em um futuro longínquo eu faça um post sério sobre o assunto, bem ou mal, estudo paródia como estratégia narrativa pós-moderna na faculdade. Mas, por enquanto, fiquem com o festival de genialidade)

Mantive os comentários anônimos, pra ninguém vir buzinar no meu ouvido. E os grifos são meus, claro. Não resisti.

“Concordo plenamente com todos que foram contra essa ideia de mau gosto, essa usurpação do talento alheio, esse desrespeito aos clássicos, essa invasão à imaginação de quem a tem(tinha). Não há desculpa para essa forma nojenta que uns ignorantes desprovidos de honra, de vergonha, descobriram de lucrar e aparecer. Isso é ridicularizar a cultura.

Blasfêmia! Blasfêmia! Blasfêmia!!!!!

“A família dos autores deveria impedir que isto aconteça e processar estas pessoas.

“Que falta de talento! Se essa gente é incapaz de escrever algo bom e original de próprio punho, que parta para outra profissão.”

“Tentar reescrevar Machado de Assis vai apenas ressaltar a sua inaptidão para a Literatura.”

“Tinha que ser proibido.

“se já está tudo pronto, para quê criar algo novo?! basta requentar! até porque não existe mais imaginação mesmo, ninguém precisa mais pensar…”

“Que barbaridade! Ja que estamos modificando estes classicos com ‘atualizacoes’, vamos entao re-pintar quadros famosos tambem, e vamos aproveitar para modificar as estatuas do Michaelangelo para adapta-las ao mundo moderno com Facebook e Twitter. Que maior falta de creatividade e’ esta! Nao mexam com perfeicao, por favor! Aqui esta uma ideia radical: escrevam suas proprias estorias,com seus proprios personagens e tente criar classicos novos ao inves de escambalhar os que ja estao na prateleira”

Má fé. Quem não tem uma idéia original para criar seus próprios personagens devia desistir da carreira.”

É a derrocada da literatura, com certeza! Povinho sem criatividade, sem expressão, procura usar as obras dos Grandes Mestres, deturpando sua obra, suas idéias. (…) É uma vergonha para o Brasil e o mundo ver um Machado de Assis na vulgaridade…

E aí? O que vocês acharam? Qual é o seu comentário preferido? Vamos votar pra ver qual entra na próxima edição do Memórias. HAH.

Só pra adiantar, eu já libero o Nerdquest pra quem quiser fazer um mashup com zumbis, ninjas ou velociraptors.

BJUNDAS!

Anúncios

24 Respostas to “Memórias Desmortas e a derrocada da literatura brasileira”

  1. Vivian Says:

    Polêmica é tudo!
    Esse comentário é genial: “Blasfêmia! Blasfêmia! Blasfêmia!!!!!”
    Não! Não! Esse é o melhor: “Má fé. Quem não tem uma idéia original para criar seus próprios personagens devia desistir da carreira.”

    Rindo horrores! rs.
    Beijos e sucesso sempre!

    • nerdquest Says:

      Eu tb não consigo me decidir hehe
      Mas por enquanto o que ganhou o meu coração foi o que está todo destacado. “Derrocada da literatura” é impagável 😛

  2. Cirilo S. Lemos Says:

    Sabe o que é mais legal? Os sujeitos acham que é moleza fazer uma mistura dessas.

    • nerdquest Says:

      Pois é, rapá. Nego acha que a gente tem tipo um filtro de picaretagem, que basta jogar o livro e ele sai do outro lado com zumbis/vampiros/aliens ou velociraptors.
      Mas quem se importa, né? O resultado final só “ressalta a sua inaptidão para a Literatura” hahaha 😛
      Abs!

  3. Rafael Lanzetti Says:

    Irás fritar no fogo do inferno, herege! rs

    Isso tudo é muito interessante, é antropologicamente enriquecedor ver como as pessoas comuns encaram a Literatura (de letra maiúscula), quase com o mesmo status sacro de textos bíblicos.

    Para o latino, de maneira geral, a Arte e o Autor são dons de Deus, intangíveis e imaculados. Para conseguir tocá-los, a blasfêmia tem que ser muito grande, e o one-way ticket to hell estará obviamente garantido no momento em que o livro sair do prelo.

    Em suma, pensar pode ser bem ruim, mas coisas como esses comentários dos leitores fazem o sofrimento valer a pena! rs

    • nerdquest Says:

      Eu tava esperando os gritos de “herege” e “blasfêmia”, mas realmente me surpreendi com a criatividade de alguns protestos. hehe. E com certeza é antropologicamente enriquecedor. Espera-se esse tipo de reação exacerbada quando se fala da religião, time de futebol ou mãe alheia.

      Queria saber onde a tal Literatura passa o resto do tempo, ou será que só fica tão importante assim quando surge a oportunidade de tacar pedra no “picareta”?

      Anyway, mas é divertido bagaraio, isso é heheh

  4. G. Says:

    Sem dúvida:
    “É a derrocada da literatura, com certeza! Povinho sem criatividade, sem expressão, procura usar as obras dos Grandes Mestres, deturpando sua obra, suas idéias. (…) É uma vergonha para o Brasil e o mundo ver um Machado de Assis na vulgaridade…”

    Aposto meu cérebro que Machado se amarraria na versão.

    Provincianos de bosta, meu!

    • nerdquest Says:

      Também está entre os meus favoritos, sem dúvida. “Derrocada” me ganha na hora, não tem jeito. hehe

      (Vamos esperar o Machadão se manifestar via sessão espírita, quem sabe? hehe)

  5. Octavio Says:

    Gostei do neologismo “escambalhar”. Será a mistura de esculhambar com escanalhar?

  6. Octavio Says:

    Ou seria “encanalhar”? Não importa. É cool.

  7. marcelo Says:

    Gostei do “tinha que ser proibido”. O cara nem diz exatamente o que tinha que ser proibido, mas tem que proibir alguma coisa. Só assim as pessoas vão parar de parodiar livros que eu fingi que li quando a escola me obrigou.

  8. Ellen, sua ex colega de traducao Says:

    “Derrocada da literatura” acho que ganha o meu voto…

    So rindo mesmo ne?! Fazer o q?
    Ignorancia eh f…

    Um beijao querido!

    Ellen

  9. Mariana Machado Says:

    Huahauahuahau,… Seu picareta!!!! Sempre soube que vc ia arrumar um jeito de enriquecer fácil! (porque é claro que vc enriqueceu)…

    Meu favorito é o Grandes Mestres… até pq se sao tao importantes deveriam ser GRANDES MEEEEESTREEEEEESSSSS no mundo da internet, nao!?

    Ps.: Rafael, eu juro que quando vi “latino” li “Latino” e viajei nas parodias com zumbis e outros monstros das musicas do Cantor (ou seria cantor?)

  10. Eboli Says:

    Eu já posso falar então que conheço o destruidor da Literatura Brasileira? Cara, é quase como ser amigo do Galactus. Sensacional.

    “Blasfêmia! Blasfêmia! Blasfêmia!” foi o melhor. Gosto de imaginar o sujeito de braços estendidos para o céu, gritando, debaixo de uma chuva torrencial.

    Parabéns, cara.

    • Bruh Says:

      Já eu imaginei alguma coisa mais tipo inquisição. Tochas, sei lá. Um velho barbado apocalíptico berrando e segurando sua primeira edição Machadiana.

  11. Eduardo Derbli Says:

    Não entendi porque o mashup do Nerdquest tem que ser com zumbis, ninjas OU velociraptors. O zumbi ninja velociraptor é um personagem legítimo do imaginário cultural moderno. A sua heresia realmente não conhece limites.

    • nerdquest Says:

      Pô, mandei mal em não colocar “e/ou” mesmo. Só tenho um pouco de dificuldade em imaginar como um velociraptor zumbi ia arremessar shurikens… hehe
      Abração!

  12. cristinalasaitis Says:

    clap clap clap! Parabéns, Pedro, esses enceradores de rococó de poltrona da ABL estão fazendo uma ótima publicidade pra você. Estou ansiosa para conhecer o livro.
    Boa sorte!

    • nerdquest Says:

      Salve, cris!
      Pois é, toda essa polemicazinha tosca foi mais divertida do que qquer outra coisa. Se a ideia era “zelar pela pureza da nossa tradição literária” ou qquer mimimi, essa galera só conseguiu fazer papel de ridículo na internet (onde mais, né… hehe)
      Bjos e espero que goste do Zumbrás!

  13. Pedro Americo Says:

    “Blasfêmia! Blasfêmia! Blasfêmia!!!!!” esse é o campeão. E ainda digo mais: aposto uma coleção inteira do Machado de Assis que nenhum desses indivíduos leu o livro até o final. Quanta baboseira.

    Detalhe: Machado de Assis, Machado Vieira… o mashup foi de propósito? 🙂

    Abração, e sucesso.

    • nerdquest Says:

      Cara, aposto que se assinasse como “Pedro Machado Vieira” ia ter alguém falando que era pseudônimo, HAHA, ia ser mto genial!

      Avise qdo estiver no Rio, bicha!
      Arschkussen!

  14. Bruh Says:

    O meu preferido é o Blasfemia!!!!!! haahah

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: