Archive for julho \28\UTC 2011

Manati

julho 28, 2011

Então, galera, eu chamei vocês aqui hoje por um motivo.

Beleza, mas deixa eu pedir cerveja antes? Tipo, tô seco e tá um calor escroto.

É pra falar de sábado passado, né?

É, é.

Cara, você pegou o bagulho mais feio que eu já vi na vida.

É, cara, ela parecia um manati.

Não to dizendo que era gorda. Tu sabe que eu curto um sobrepeso, pô, sem preconceito. Ela realmente parecia um manati. Tinha formas de manati. E cara de manati, até uns bigodes loiros.

Não me diga que tu levou ela pra casa.

Não tem nada a ver com isso. Vocês vão me deixar falar?

Fala aí, porra.

Espera, vou pedir uma cachaça antes. Tô com medo de vocês estarem sóbrios demais pro que eu tenho a dizer. Ricardo, traz três cachaças daquela mineira, boa. Da reserva do Orlando, não traz da vagabunda não.

Porra, pediu cachaça pede torresmo também.

O torresmo tá ruim.

Tá ruim?

Tá.

Porra, eu tava afim de um torresmo.

Cara, o Ricardo acabou de dizer que tá ruim. Lembra da última vez que a gente duvidou dele, né? Traz um mocotó grande pra mim. E vocês o que querem? Traz dois caldinhos de feijão pra eles.

Você terminou Final Fantasy XIII?

Não, tá foda. Tão me quebrando na repartição.

Traz outra cerveja, Ricardo.

Então, porra, eu tava falando.

Ah sim, você tava.

Conta aí.

Pois é, naquele sábado eu fui abduzido.

Mas foi exatamente o que eu tinha dito, porra.  A mulher manati te abduziu. Como você teve coragem, na boa?

É cara, tu nem tinha bebido tudo isso.

Não, seus viados, eu fui abduzido por uma civilização intergaláctica.

A federação galáctica das barangas?

Porra, cara, to falando sério!

Tá bom, bicho, não precisa ficar puto, olha a cagada. Ricardo, traz um pano aqui que a boneca se enfezou. E outra cerveja.

Eu. Tô. Falando. Sério. Porra.

Tá bom, cara, foi mal.

Tem certeza que você não tomou um boa noite Cinderella? Sério, tá foda. Tem um chegado meu da repartição

Não, cara, tenho certeza.

Que porra é essa?

Eles me treinaram pra comandar uma armada galáctica em uma guerra. Esse aqui é o meu intercomunicador, e, tipo, eu uso pra manejar a armada em tempo real. Vocês tão vendo isso? Então, eu tô usando um cinturão de asteroides como cobertura pra

Não fode, cara. Esse é o plot de Ender’s game.

Ah?

O jogo do exterminador, é um romance de ficção científica em que um maluco mata outro com um chute no saco, é irado.

Tá zoando. Um chute no saco?

É genial.

Caralho, vocês querem prestar atenção?

Bicho, eu vi esse jogo vendendo na Uruguaiana outro dia. Tu tá surtado. Essa parada aí é tipo o novo Pokémon ou Yu Gi Oh, sei lá o que os moleques jogam hoje em dia.

Mas é tipo o quê?

É um Starcraft mais mongol.

Eu sabia que vocês não iam entender. Eu sabia. Pra vocês tudo é um jogo, uma grande brincadeira, né? não conseguem levar nada a sério, de verdade, vocês

Não fode, deixa eu ver essa parada aí

LARGA ISSO AGORA!

Peraí, cara, como é que eu movo as navezinhas?

LARGA ISSO! DEVOLVE!

O que tá acontecendo aqui?

Traz um pano de novo, Ricardo, hoje tá foda.

VOCÊ NÃO PODE MOVIMENTAR AS MINHAS TROPAS!

AHÁ, olha o que eu to fazendo, navezinha pequena, atacar navezinha grande. Vai! Vai navezinha!

Bicho, quer ficar calmo? Ninguém vai estragar seu jogo, é só ele não salvar.

O DESTINO DE UM IMPÉRIO INTERGALÁCTICO ESTÁ SENDO DECIDIDO!

Se ele continuar gritando eu vou ter que pedir pra vocês saírem. Ele tá bem?

Ele parece bem?

Tô tirando onda na paradinha aqui, só nos raio laser.

Idiota, você vai gastar todas as minhas células de energia! Você sabe quantos sóis foram exauridos para carregar esse torpedos de

Olha aqui, seu mané. Nem sabia mexer nessa porra e ganhei o jogo em dois minutos. Se liga, tapado. Olha a navezinha explodindo.

Você… você abateu o cruzador imperial. Você venceu a guerra!

Aham. E por que meu copo tá vazio?

Humanos, obrigado pelo auxílio. O seu papel foi inestimável na derrota da inteligência suprema galáctica sombria de

Ah, sai daqui, seu manati.